4. Atualizar os impostos de cada produto.

Este tópico é complementar ao cadastro do produto que mostrei no tópico anterior, então, depois que realize o cadastramento necessário, o sistema irá apresentar uma tela como esta:

consultaProdutos.PNG

Observe a segunda e a terceira colunas, uma dá acesso à configuração dos impostos por produtos, que vou mostrar logo abaixo. A segunda é um indicador, demonstrando se o cadastro do seu produto está pronto para ser usado com a emissão de uma nota. Assim se pendente, será necessário atualizar, se concluído pode usar.

Acessando a tela de configuração teremos:

impostos_1

Observe que existem as abas para cada imposto, onde o usuário faz a configuração de cada um especificamente. Existem alguns detalhes nisto, mas com um treinamento a pessoa aprende e fica fácil de fazer.

Vou mostrar aqui mais duas abas desta mesma tela apenas para explicar um pouco mais, a primeira é esta:

impostos_2

Note que existem três campos acima, na aba de classificação do produto, isto é importante por que muitas regras derivam desta configuração.

Assim, no caso você poderá incluir diferentes naturezas de operação para um mesmo produto. Isto já otimiza o processo da emissão.

A outra coisa é que será necessário informar um código NCM, existe a tabela oficial com todos os códigos para consulta caso precise. O sistema somente aceitará um NCM válido e existente, isto porque esta referência é usada para calcular o valor aproximado dos impostos, a tabela do IBPT define já um preço médio oficial deste produto e usa isto para informar o quanto de impostos existe em uma nota.

E, por fim, existe o CEST é mais informação usada para a configuração dos produtos, mas esta é opcional.

Agora aqui a outra aba que citei, no caso, a última apenas para mostrar como fica o resultado depois que uma configuração é adicionada ao produto:

Impostos_3.PNG

Então, aí você está vendo um resumo dos dados principais de como ficou cada configuração adicionada, ou seja por cada natureza de operação que disse acima que poderia haver mais de uma por produto.

Entretanto, uma nota somente poderá ser emitida com produtos pertencentes a uma única natureza de operação, lembre-se disto.

Uma observação, após emitir uma nota com estes impostos configurados, caso você resolver alterar este padrão de configuração vigente, isto não irá afetar a nota já emitida.

Anúncios

3. Realizar o cadastro dos produtos.

Os produtos têm apenas algumas informações básicas, então vou informar neste tópico aqui isto, mas, complementarmente, informações relativas aos impostos também são obrigatórias, daí mostro no tópico seguinte.

Então, será necessário preencher uma tela como esta:

dadosprodutos

Note acima que existem opções de categoria, sub-categoria, unidades. Estes cadastros devem ser feitos anteriormente, os dois primeiros para fins de classificação e o terceiro define as unidades de medidas.

Se os dados cadastrais forem muitos extensos poderá existir alguma possibilidade de importar tudo isto de uma vez direto para o banco, evitando assim um trabalho tão longo.

2. Realizar os cadastros de clientes, fornecedores, transportadores e veículos

Os cadastros de clientes e fornecedores se aplicam para informar o destinatário da nota fiscal. Ambos podem ser definidos para notas de saída ou de entrada.

Os campos requisitados como obrigatórios são por conta do XML, eles precisam ser exibidos e, por isto, ao preencher o cadastro estes dados precisarão ser atualizados.

dadoscadastrais

Um exemplo é este acima, basicamente é preencher estes tipos de dados, tanto para clientes, fornecedores ou transportadores, estes último será utilizado quando for o caso específico se houver transporte.

Importante informar dados consistentes. Exemplo: CNPJ válido, telefone correto, mas o sistema já ajuda a fazer isto.

Se houver necessidade, o usuário também pode fazer uso dos cadastros de transportadores e veículos isto se aplica aos casos de nota que estão configuradas com uso de transporte. Mantendo estes dados atualizados, no ato de emissão da nota caberá fazer seleção dos registros desejados.

1. Dispor do certificado digital do tipo A1.

Na internet, existe vasto conteúdo falando sobre assinatura digital, por isto sem repetir muito, quero apenas reiterar que para a emissão de nota fiscal eletrônica a empresa poderá usar dois tipos de certificado o A1 ou o A3.

O tipo A1 não necessita de dispositivo físico, assim basta ter o programa adquirido com a instituição credenciada. Exemplo: a Certisign.

O tipo A3 usa um dispositivo físico que poderá ser um cartão com chip acompanhado de uma leitora, então sempre que for assinar algum documento, o mesmo estará conectado ao computador solicitará uma senha e completará o processo.

No caso do Tiban, a opção é pelo tipo A1, o cliente coloca o seu certificado no servidor, informa uma senha e o CNPJ da empresa nas configurações do sistema e o processo será realizado automaticamente.